Apesar de ser cada vez mais comum no tratamento de várias coisas, hoje em dia o termo hipnose ainda pode ser visto como algo fora do comum e possivelmente perigoso, havendo até pessoas que acham que isto é uma “ciência do oculto”.

Mas nada disso é verdade. Na realidade, a hipnose é, essencialmente, um estado de atenção focada e relaxamento. É, aliás, um fenómeno bastante natural, visto que passamos por estados semelhantes aos da hipnose ao longo do dia, por exemplo, quando lemos um livro e estamos tão envolvidos na história que nem nos apercebemos do barulho à nossa volta. A hipnose é, assim, um estado natural que pode ser induzido ou acontecer naturalmente.

A Hipnoterapia, ou Hipnose Clínica, facilita, de uma forma segura, o acesso ao inconsciente, onde se podem encontrar as causas do problema que se quer resolver.

Mas afinal para que é que serve a hipnoterapia? A hipnose clínica tem uma finalidade terapêutica, de especial utilidade em modificações comportamentais, para gestão emocional e controlo de certos sintomas, bem como em situações de gravidez e recuperação pós-parto.

No caso das modificações comportamentais desejadas, incluem-se as dependências e vícios, como o álcool e o tabaco. A hipnose atua no inconsciente, removendo o impulso que as pessoas têm de fumar ou de beber, de modo a que o indivíduo não sinta necessidade de compensar estes atos com outros, e tem até a capacidade de implementar hábitos mais saudáveis.

Em relação à gestão emocional, a hipnose pode reduzir a ansiedade, o stress, ataques de pânico, depressão e fobias. Esta técnica permite identificar pontos importantes que possam ter contribuído para o desenvolvimento da depressão e auxilia na restruturação psicológica do indivíduo, como também ajuda a descobrir a causa de uma fobia. Também permite que o paciente aprenda a relaxar e sentir controlo a nível emocional, cognitivo, comportamental e fisiológico, ajudando a controlar a ansiedade e o stress. Para além disto, a hipnoterapia pode auxiliar o paciente a desenvolver uma boa autoestima.

Outro benefício da hipnose clínica é que contribui para a diminuição da sensação de dor e dos sintomas a ela associados, diminuindo o incómodo do paciente, especialmente em casos de dores crónicas ou agudas. A hipnose em cirurgia permite que o indivíduo tenha menos complicações pós-operatórias e menos náuseas.

A hipnoterapia pode ajudar no controlo de peso. Visto que a maioria das pessoas compensa grandes vazios emocionais com comida, a hipnose centra-se no controlo das emoções, reforçando a força de vontade, a motivação e a substituição de maus hábitos por hábitos saudáveis.

A hipnose contribui ainda para a alteração da circulação sanguínea, da temperatura, da tensão muscular e do sistema imunitário, que podem estar na origem de sintomas dermatológicos, como psoríase, dermatite, acne e alergias.

Qualquer pessoa pode ser hipnotizada, desde que esteja disposta a tal, com a exceção de pessoas com problemas cardíacos ou transtornos mentais. Numa sessão de hipnose, o paciente sente o corpo bastante relaxado, mas está acordado e consciente, e a sua mente está mais focada que nunca. E, claro, não faz nada contra a sua vontade.

Concluindo, a hipnose clínica é uma técnica que pode ter bastantes benefícios e estudos indicam que possa ser muito útil no tratamento de outras doenças e sintomas. Parece magia, mas não é.

Post anterior

Kahoot Literário

Próximo post

Fim do Março Jovem

Mariana Monteiro

Mariana Monteiro

Nenhum comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *