Cinco segundos para vos convencer a ler este jornal? Bora lá! OK, talvez cinco não sejam suficientes; vamos experimentar alongar para os cinco minutos, assim os senhores do supermercado já não poderão processar-me por ter uma frase igual ao D8 e eu terei mais tempo para falar com vocês.

Caro leitor, garanto-lhe que o tempo que lhe estou a roubar será muitíssimo bem aproveitado! “Es·co·la (latim schola , ócio dedicado ao estudo, ocupação literária, lição, curso, lugar onde se ensina) – substantivo feminino” Segundo consta no dicionário, a palavra “Escola”, tem esta mera definição. Segundo consta no coração e na mente de milhões de alunos espalhados por todo o mundo, a ESCOLA vai muito mais para além disso. Na maior parte das vezes, os pensamentos que nos vêm logo à cabeça, sempre que nos falam em escola são: as aulas, os professores, os testes, etc… Mas, se pararmos para pensar um bocadinho mais sobre o assunto, chegamos à conclusão de que é muito mais que isso. A nossa escola é como uma segunda casa, que nos acolhe todos os dias. É todo um ambiente fora da nossa zona de conforto, com o qual temos de lidar e que, sendo bom ou mau, nos ensina a ver as coisas com uma perspetiva diferente. Na escola, nós não aprendemos única e exclusivamente a interpretar documentos históricos ou a resolver equações. Não. Também nos preparamos para sermos capazes de viver no mundo real, para ser pessoas honestas e corretas, aptas a encarar a vida como algo único e maravilhoso. E tendo a escola um papel central nas nossas vidas, por que motivo não devemos destacar a sua importância? Foi a partir desta pergunta que surgiu a ideia da criação do jornal da escola. Um sítio onde nós pudéssemos reportar os diversos acontecimentos de grande interesse para nós, que vão decorrendo ao longo dos nossos dias, vividos aqui na escola. Seria algo criado por nós, alunos, e para nós! Senhores e senhoras, apresento-vos LOL, o jornal da escola!

Muitos de vocês devem estar a questionar-se “porquê LOL?”. Porque é um nome simples, fácil de decorar e em tempos que já lá vão era a única expressão que muitos de nós só sabíamos utilizar.

Desfrutem!