10 Mar 2015

A Fénix

Ergueu-se das chamas, que em chão impuro ardiam, um trilho sem fim cobriam. Abria as suas asas majestosas. O seu voo, esplendoroso, o céu tornava vermelho do fogo, tão novo, tão velho. Para cima olhava invejoso. Observava a enorme liberdade de voar, como uma ave, bela. No topo era uma

João Palma 0